Ressarcimento ao SUS

O ressarcimento ao SUS, criado pelo artigo 32 da Lei nº 9.656/1998 e regulamentado pelas normas da ANS.

Ressarcimento ao SUS.

É a obrigação legal das operadoras de planos privados de assistência à saúde de restituir as despesas do Sistema Único de Saúde no eventual atendimento de seus beneficiários que estejam cobertos pelos respectivos planos.

Atendimento.

Os beneficiários do Plano de Saúde são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Identificação.

A ANS cruza os dados dos sistemas de informações do SUS com o Sistema de Informações de Beneficiários (SIB) da própria Agência para identificar os atendimentos a beneficiários de planos de saúde, excluindo aqueles sem cobertura contratual.

Notificação.

ANS notifica a operadora a respeito dos atendimentos identificados.

Impugnação e recurso.

A operadora pode contestar as identificações em duas instâncias administrativas. Ca
so comprove que os serviços prestados no atendimento identificado não têm cobertura contratual, a identificação é anulada. Se ficar demonstrado que o contrato cobre apenas parte do atendimento, a identificação é retificada.

Cobrança e recolhimento.

Precluída a faculdade de impugnar ou recorrer, ou decidida em última i
nstância administrativa, e mantida a identificação integralmente ou parcialmente, a ANS encaminha para a operadora notificação de cobrança dos valores devidos, a qual tem o prazo de 15 dias para pagamento ou parcelamento.

Inadimplência.

Caso os valores devi
dos não sejam pagos ou parcelados no prazo, a operadora fica sujeita à inscrição no Cadastro Informativo (CADIN) dos créditos de órgãos e entidades federais não quitados, à inscrição em dívida ativa da ANS e à execução judicial.

Repasse.

Os valores recolhidos a título de ressarcimento ao SUS são repassados pela ANS para o Fundo Nacional de Saúde.

Fonte: ANS

Comentários

Não Encontrou o que Procurava? Pesquise Aqui!

Top 10 da semana!

Faturamento, o fim

Superfaturamento