Guia de Consulta

guia de consulta é umas das mais usadas no Faturamento Hospitalar. E, também é uma das mais fáceis.
Contudo, existem algumas particularidades que devem ser observadas.
Neste texto, nós vamos observar passo a passo cada campo da guia de consulta.
Ao final você ainda poderá receber um certificado totalmente sem custo, portanto, preste muita atenção nas informações a seguir.

Guia de Consulta!


Primeiro clique aqui e imprima a guia para melhor acompanhar, e, depois vamos ao que interessa.

Campo 1 - toda operadora de saúde, para funcionar, precisa ter seu registro na ANS (Agência nacional de saúde). Este campo, na maioria das vezes, já vem preenchido na guia TISS, mas, se não vier devemos preencher.
Você pode consultar o registro as operadoras de saúde aqui.

Campo 2 - este é o campo destina ao número da guia. Quando as guias vem das operadoras de saúde, é comum já virem com este campo preenchido. Contudo, existem vezes, e é mais comum isso acontecer quando imprimimos as guias dos sites dos convênios, esses campo vem em branco. Quando isso ocorre, nós devemos preencher com uma numeração sequencial, ou seja, o número das próximas guias devem dar sequência a este.

Campo 3 - após enviarmos a guia para a operadora de saúde, é atribuído a ela um número de controle interno. Portanto, não devemos nos preocupar com este campo, exceto quando estamos copiando as informações de uma guia autorizada pelo site do convênio, que geralmente já informa este número. Neste caso, devemos preencher este campo.

Campo 4 - neste campo, é necessário informar toda a numeração da carteira do beneficiário, INCLUSIVE OS ZEROS À ESQUERDA!  Essa numeração pode ter de seis números até vinte. E é de extrema importância o preenchimento com muita atenção. Para ver como preencher clique aqui.

Campo 5 - as carteirinhas dos pacientes tem validade. E é neste campo que devemos anotar a validade da carteira. Apesar de não ser um campo obrigatório, é aconselhável preenchê-lo.

Campo 6 - indica se o atendimento, no caso, a consulta, está sendo realizada ao recém nascido ou não. Basta colocar S para sim ou N para não.


Campo 7 - esse campo é destinado ao nome do beneficiário do plano de saúde. O mais importante é o primeiro e o último nome, os demais podem ser abreviados. Mas, algumas operadoras de saúde obrigam o preenchimento do nome completo sem abreviações. E é muito importante prestar atenção nisso, pois elas costumam glosar a conta inteira por causa disso.


Campo 8 - o Cartão Nacional de Saúde é um instrumento que possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) ao usuário, ao profissional que os realizou e também à unidade de saúde onde foram realizados. Para tanto, é necessária a construção de cadastros de usuários, de profissionais de saúde e de unidades de saúde. A partir desses cadastros, os usuários do SUS e os profissionais de saúde recebem um número nacional de identificação. Contudo, Não é um campo obrigatório.
Campo 9 - ao se credenciar à operadora de saúde, esse médico, clínica ou consultório recebe um código de cadastro. Que pode ser um código próprio cedido pela operadora de saúde, ou o próprio CNPJ (cadastro nacional de pessoa jurídica) do estabelecimento de saúde, em caso de clínicas e consultório; ou o CPF se o credenciado for pessoa física.

Campo 10 - este campo é destinado ao nome do hospital, clínica, consultório ou médico em questão. Sempre o nome completo, que está cadastrado junto à Operadora de saúde.

Campo 11 - o CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde), pode ser consultado no site do cnes no datasus.gov.br. Nesse site, você pode encontrar o estabelecimento de saúde pesquisando pelo nome ou pelo CNPJ.

Campo 12 - neste campo, devemos inserir o nome do profissional. Como o campo é pequeno, podemos abreviar o nome. Lembrando que o primeiro e o último nome não podem ser abreviados.

Campo 13 - médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas... Cada uma destas profissões têm conselhos. Esses conselhos são responsáveis por registrar e habilitar os profissionais a exercerem o seu trabalho, e também, por fiscalizar o cumprimento da legislação pertinente a sua profissão. Na guia de consulta, no campo 13, identificamos os conselhos por números. Cada conselho tem o seu número, conforme a tabela abaixo:


Campo 14 - os conselhos de classe, ao registrarem seus profissionais, identificam eles com uma numeração. Como uma espécie de número de identidade. É essa numeração que devemos inserir nesse campo.

Campo 15 - cada estado brasileiro é identificado por um código de dois dígitos. É esse código, que devemos inserir no campo 15. Você encontrará estes códigos ao clicar aqui.

Campo 16 - o Cadastro Brasileiro de Ocupações (CBO) cataloga todas as profissões habilitadas a serem exercidas no Brasil. Cada profissão tem o seu código, assim, cada especialidade médica tem o seu código próprio. Ao clicar aqui, você encontrará todos os códigos CBO da classe médica.

Campo 17 - este campo indica o tipo de acidente que levou a consulta. Que pode ser, 0 - trabalho; 1 - trânsito; 2 - outros; 9 - não acidente.

Campo 18 - você deverá inserir a data do atendimento no formato DD/MM/2017.

Campo 19 - os tipos de consulta são identificados por números: 1 - primeira consulta; 2 - retorno; 3 - pré natal; 4 - por encaminhamento.

Campo 20 - com a padronização TUSS o número de tabela a ser utilizado deverá sempre ser 22. Mas, algumas operadoras de saúde criam pacotes com códigos próprios e que não estão relacionados no rol de procedimentos ANS TUSS. Nesses casos o número de tabela a ser utilizado é o 98, que trata dos códigos próprios de pacotes das operadoras. Contudo, verifique o seu contrato ou pergunte ao setor de Faturamento

Campo 21 - O código do procedimento consulta eletiva na TUSS é 10101012. Contudo, é necessário olhar no contrato se existe algum acordo com a operadora de saúde que faça ser um código diferente.

Campo 22 - O faturamento deverá informar a recepção o valor da consulta para que este campo seja preenchido corretamente.

Campo 23 - Campo opcional destinada a observações ou justificativa médica.

Campo 24 - Apesar de exigir apenas a assinatura do profissional executante, é bom que ele carimbe também a guia.

Campo 25 - Este campo é de extrema importância, pois a não assinatura do beneficiário acarretará a glosa completa da guia.


Agora que chagamos ao final, você pode solicitar o seu certificado! É só clicar no botão abaixo.


Comentários

Não Encontrou o que Procurava? Pesquise Aqui!

Top 10 da semana!

Faturamento, o fim

Superfaturamento