A importância de bom fluxo no Faturamento Hospitalar


Ordem é quesito fundamental em um ambiente cujo ritmo é acelerado e onde não se pode perder tempo procurando objetos e coisas. “Quando a ordem das pessoas e das coisas está claramente e exatamente estabelecida, qualquer função pode ser facilmente identificada no conjunto”.

O Faturamento Hospitalar recebe muita informação, de vários setores e ao mesmo tempo, e, com a mesma velocidade que recebe, envia essas informações, por isso, a ordem se torna tão importante. Por esse motivo, no setor de faturamento hospitalar, todos devem saber exatamente responder a três perguntas:

- De onde vêm as informações? 


- Quem e como se trata as informações? 


- Para onde vão as informações? 


Para começar a trabalhar em um setor de faturamento, seja ele público ou privado a primeira coisa que se deve fazer é reunir todas as informações possíveis sobre o setor, sobre o trabalho realizado no setor e sobre o trabalho dos setores cujas rotinas influenciam as nossas.

Todas essas informações devem estar sempre disponíveis para consulta, tanto fisicamente como digitalmente e, sempre atualizadas. Uma vez que temos todas essas informações bem definidas, já podemos começar a divisão do trabalho.

Criar uma linha de produção dinâmica é fundamental. Muitos gestores acreditam que o mais saudável é que todos saibam fazer tudo. Porém, uma vez que temos todas as informações disponíveis e atualizadas constantemente, dividir o trabalho se torna salutar.

A partir de então podemos dividir o setor em quatro linhas de trabalho, direcionando funcionários específicos para cada uma delas: Entrada de informações, Processamento e revisão dessas informações, Envio das informações e Contenção de perdas.

As informações que entram no setor de faturamento vêm de setores cujo ritmo é acelerado: enfermagem, recepção, diagnóstico, laboratório, etc. 

Leia também:

Por isso, é comum algumas informações virem com incorreções, não conformidades ou incompletas. Disponibilizar funcionários específicos para cada parte do trabalho dessas informações as torna mais confiáveis.

A criação de uma infraestrutura digital também é fundamental. Possuir um software que se adéque às suas necessidades e que integre todos os setores digitalmente proporciona um melhor escoamento destas informações, e melhora significativamente a comunicação entre esses setores.

Coordenando todo esse sistema, devemos ter um funcionário que deverá atualizar os dados constantemente e manter o relacionamento com os outros setores e as operadoras de saúde. Deste funcionário, e somente dele, sairão às ordens e todo o comando do setor. Ele deverá ter autonomia para decisões e uma experiência maior que os demais.

Pronto, criamos um sistema de trabalho dinâmico e bem organizado. Um sistema que funcionaria muito bem em grandes organismos empresariais.

Mas, e quando temos uma pequena clínica, ou consultório e não dispomos de receita suficiente para criar um sistema servido de vários profissionais e softwares avançados? Será que esse sistema de trabalho me serviria?

Leia também:

Um dos pontos principais do sucesso no trabalho é a organização. De nada adianta diversos profissionais competentes e softwares avançados se esse setor que criamos, não tem a organização necessária para fazer o trabalho fluir.

Não importa se você tem dez etapas de trabalho e um funcionário para cada etapa ou se você tem apenas um funcionário fazendo todas as etapas. Não importa se você tem um grande hospital, uma rede de clínicas ou um consultório; manter um ambiente administrativamente organizado e centrado no trabalho, sempre motivando os funcionários de forma encorajadora, consolidará uma empresa de credibilidade.

Comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Não Encontrou o que Procurava? Pesquise Aqui!

Top 10 da semana!

Faturamento, o fim

Superfaturamento