GHI - procedimentos realizados


Quando vamos cobrar os honorários médicos de uma cirurgia realizada, devemos prestar bastante atenção no preenchimento dos campos referentes aos procedimentos realizados; tudo deve estar nos padrões TISS da ANS.

Hoje vamos ver passo a passo como preencher esses campos. 


Campo 20 - Tabela
Com a padronização TUSS o número de tabela a ser utilizado deverá sempre ser 22. Mas, algumas operadoras de saúde criam pacotes com códigos próprios e que não estão relacionados no rol de procedimentos ANS TUSS.
Nesses casos o número de tabela a ser utilizado é o 98, que trata dos códigos próprios de pacotes das operadoras.

Leia Também:
Cirurgia ortopédica
No campo 21, você deve inserir os códigos de maior valor primeiro, e, depois, os de menor valor.
Você só deve inserir os códigos LIBERADOS na senha da cirurgia. Caso contrário, os códigos incorretos serão glosados.
Por isso é importante ligar para a operadora de saúde para confirmar se aqueles códigos que você tem e mãos, foram realmente os liberados para aquela senha. 

Campo 22 - Descrição
A descrição dos procedimentos geralmente são muito grandes. São verdadeiras frases gigantescas e o campo 22 é bem pequeno.
Não se preocupe! você não precisa escrever todo o nome do procedimento. Veja o Exemplo:
Osteotomia dos ossos da perna.
Você pode escrever:
Osteotomia.


Campos 23 - Quantidade
Esse campo é destinado a quantidade que procedimento foi realizado. 
É fato, que na maioria das vezes, a quantidade será 1. Porém, existe a possibilidade de o paciente realizar o mesmo procedimento nas duas pernas ou nos dois braços.
Nestes casos, nós aconselhamos a inserir o código duas vezes seguidas na guia com quantidade 1, e NÃO apenas uma vez com quantidade 2
Veremos mais para frente o porque desta dica!

Campo 24 - Via
Uma perna, um braço, duas vezes no mesmo dedo, em dedos diferentes... esse campos serve para especificar a via de acesso que o médico utilizou para realizar o procedimento.
Esse campo são muito importante e deve ser preenchido com muito cuidado.
A regra de preenchimento é a seguinte:

Preencha com o número 1 quando for apenas um procedimento realizado. 
OBS: quando houver mais de um procedimento, o primeiro procedimento também será via de acesso 1.

Preencha com o número 2 quando o procedimento em questão foi realizado na mesma via de acesso do primeiro.
Exemplo: o primeiro foi no braço esquerdo e o segundo também. O primeiro foi no olho direito e o segundo também.

Preencha com o número 3 quando o procedimento em questão foi realizado em uma via de acesso diferente do primeiro.
Exemplo: o primeiro foi realizado na perna direita e o segundo na perna esquerda. 

Mas, porque isso?

O primeiro procedimento de maior valor, sempre custará o valor integral da tabela. O que muda, na verdade, é a valoração dos demais procedimentos.
Quando o procedimento for realizado na mesma via de acesso (2) do primeiro, ele custará 50% do valor dele próprio na tabela.
Exemplo:
Se ele custa R$ 1000,00 ele passará a custar R$ 500,00

Quando o procedimento for realizado em via de acesso diferente (3) do primeiro, ele custará 70% do valor dele próprio na tabela.
Exemplo:
Se ele custa R$ 2000,00 ele passará a custar R$ 1400,00


Essa é uma regra geral de todas as operadoras de saúde. Contudo, antes de fazer as cobranças, olhe se seu contrato tem alguma particularidade a ser observada.

Campo 25 - Técnica Utilizada.
Com o avanço da tecnologia e da medicina, as técnicas cirúrgicas também avançaram. É muito comum cirurgias por vídeo, e até a utilização de máquinas robóticas para alcançar um resultado mais que satisfatório. 
Nesse campo você vai indicar se o procedimento em questão foi realizado de forma convencional (1), através de vídeo (2) ou por técnica robótica (3), como mostra a imagem abaixo:


Campo 26 - Fator de Redução/Acréscimo. 
Esse campo tem fator decisivo, quando efetuamos o envio eletrônico, em arquivo >>xml<
Antes de enviar as GHI para a operadora, devemos inserir as informações da guia física em um software padrão TISS. Este software, transforma esses dados em um arquivo >>xml<< que deverá ser enviado eletronicamente para a operadora de saúde.
E é aí que o campo 26 tem papel decisivo.
Você pode aplicar as regras de valoração que já falamos antes (horário de urgência, mesma via, via diferente), fazendo o cálculo e inserindo diretamente nos campos 27 e 28.
Mas, você também pode usar o campo 26 para isso. Veja nos exemplos abaixo o que está circulado de vermelho:

Usando o campo 26, você inserir no campo 27 o valor real do procedimento, e, então, o sistema utilizado calculará a informação inserida no campo 26.

Campos 27 e 28 - Valor Unitário e Total.

Para uma GHI bem preenchida, insira o valor unitário mesmo que ele também seja o valor total. Preencha todos os campos de forma bem legível.

Comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Não Encontrou o que Procurava? Pesquise Aqui!

Top 10 da semana!

Faturamento, o fim