Administração Científica

Se você estuda ou já estudou administração, sabe a importância de aprender algumas teorias. E mesmo para quem nunca estudou administração, mas, exerce algum cargo de comando em uma organização, o estudo de algumas teorias de administração e o estudo de alguns pontos da história da administração, traz um olhar diferente sobre o trabalho que está realizando e/ou a forma de conduzi-lo.



Vou apresentar a vocês um pouco sobre a administração científica, de Taylor. Portanto, faça suas anotações e extraia o máximo que puder para aplicar no seu dia-a dia no trabalho.



Conhecido como o precursor da TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA, Taylor ensinava a prática da divisão do trabalho, enfatizando tempos e métodos a fim de, assegurar seus objetivos: “de máxima produção a mínimo custo”. Seguindo os princípios da seleção científica do trabalhador, do tempo padrão, do trabalho em conjunto, da supervisão e da ênfase na eficiência.

A Administração Científica tinha em sua essência o intuito de aplicar a ciência à administração. Possuía ênfase nas tarefas, buscando a eliminação do desperdício, da ociosidade operária e a redução dos custos de produção. Com o objetivo de garantir uma melhor relação custo/benefício aos sistemas produtivos das empresas do início do século XIX.

Taylor buscava, com isso, uma forma de gestão que fizesse com que o trabalhador produzisse mais em menos tempo, sem elevar os custos de produção da empresa. 

Ele observou que o sistema de gestão da época continha muitas falhas, entre elas: a falta de padronização dos métodos de trabalho, o desconhecimento por parte dos administradores do trabalho dos operários, a forma de remuneração utilizada nas empresas.

Seu trabalho foi dividido em dois períodos:

1º período de Taylor: racionalização do trabalho dos operários das fábricas da época.

2º período de Taylor: definição de princípios de administração aplicáveis em todas as situações do cotidiano da empresa.

Em seu livro “Administração de Oficinas” (1903), Taylor propõe a racionalização do trabalho por meio do estudo dos tempos e movimentos. Tal estudo visava definir uma metodologia que deveria ser seguida por todos os trabalhadores, pregando a padronização do método de trabalho e das ferramentas utilizadas.

Racionalização = racional + ação.

Usar da sua inteligência para execução de tarefas onde o efeito deverá ser integrado a menos desperdício, menos esforço, menos custo, menos retrabalho, menos reposição, chegando a tarefa final com custo benefício com excelência .


A Organização Racional do Trabalho visava a eliminação de movimentos inúteis, fazendo com que os trabalhadores executassem suas tarefas de forma mais simples e rápida, estabelecendo um tempo médio, a fim de que as atividades fossem feitas em um tempo menor e com qualidade, aumentando a produção de forma eficiente.

A Organização Racional do Trabalho pregava:

- Análise do trabalho operário;
- Estudo dos tempos e movimentos;
- Fragmentação das tarefas;
- Especialização do trabalhador


Princípios básicos da administração científica:

Em 1911, Taylor apresenta, em seu segundo livro “Principles of Scientific Management”, os princípios fundamentais da Administração Científica.



Princípio de planejamento:



Substituição de métodos empíricos por procedimentos científicos, ou seja, sai de cena as experiências vividas e entra o planejamento através de trabalhos já testados e normatizados.



Princípio de preparo dos trabalhadores:

Selecionar os operários de acordo com as suas aptidões e então prepará-los e treiná-los para produzirem mais e melhor, de acordo com o método planejado para que atinjam a meta estabelecida.



Princípio de controle:

Controlar o desenvolvimento do trabalho para se certificar de que está sendo realizado de acordo com a metodologia estabelecida e dentro da meta.


Princípio da execução:


Distribuir as atribuições e responsabilidades para que o trabalho seja o mais disciplinado possível.

Leia também:



Com a aplicação deste princípios, a Administração Científica conseguiu atingir alguns objetivos e identificar novas situações importantes para o processo de desenvolvimento da Administração. 

A cooperação dos operários foi obtida com planos de incentivos salariais e prêmios de produção. Os gestores da época pensavam que o salário era a única motivação do trabalhador (homo economicus).



O desenho de cargos e tarefas mostrou o trabalho simples e repetitivo das linhas de produção, a padronização e as condições de trabalho que asseguravam a eficiência. 

Verificou-se, também, que não adiantava racionalizar o trabalho do operário se o superior continuasse trabalhando como antes.

Clique aqui e cadastre-se em nosso site.

Como vocês puderam observar mudar é preciso para se obter melhores resultados no trabalho. O setor de faturamento é muito importante e a melhora na forma de trabalhar muda significativamente os resultados.

Lembrando que esta matéria foi um resumo de administração estratégica e o Portal do Faturamento Hospitalar sempre estimula nossos leitores estudar e se instruir.

Comentários

Não Encontrou o que Procurava? Pesquise Aqui!

Top 10 da semana!

Faturamento, o fim