O que é o SUS? - parte 1.

O que é sus? parte 1
O SUS é um dos maiores e mais complexos sistemas de saúde do mundo, abrangendo desde um simples atendimento para avaliação de pressão arterial até o transplante de órgãos.

O Sistema Único de Saúde (SUS) é o sistema de saúde publica no Brasil e foi instituído pela Constituição Federal de 1988, como maneira de efetivar o mandamento constitucional onde diz que a saúde é direito de todos e dever do estado.

A rede que compõe o SUS é ampla e abrangente tanto em ações quanto em serviços.

Engloba desde a atenção primária, média e alta complexidades, os serviços urgência e emergência, a atenção hospitalar, as ações e serviços das vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental até assistência farmacêutica.

Antes da Constituição de 1988 apenas aproximadamente 30 milhões de pessoas tinhas acesso aos serviços hospitalares, que eram os trabalhadores vinculados à Previdência Social. Os demais cidadãos ficavam a mercê das Entidades Filantrópicas.

A Estrutura do Sistema Único de Saúde.

O Sistema Único de Saúde é composto pelo Ministério da Saúde, Estados e Municípios como determina a Constituição Federal e, cada um têm suas co-responsabilidades.

O Ministério da Saúde é o Gestor Nacional, é ele quem formula, normatiza, fiscaliza, monitora e avalia e ações, em articulação com o Conselho Nacional de Saúde.

As Secretarias Estaduais de Saúde participam da formulação das politicas e ações em saúde e presta apoio aos municípios em articulação com o Conselho Estadual.

Leia também:

Já as Secretarias Municipais são responsáveis por planejar, organizar, controlar, avaliar e executar as ações e serviços de saúde em articulação com o Conselho Municipal.

Princípios Doutrinários

O SUS possui 3 princípios básicos, são eles: a universalização, a equidade e a integralidade.

Na universalização,a saúde é um direito de todas as pessoas e cabe ao Estado assegurar este direito independente do sexo, raça, ocupação ou outras características sociais e pessoais

A equidade tem por objetivo diminuir as desigualdades, por que apesar das pessoas possuírem os mesmos direitos, elas são diferentes e, por isso, têm necessidades diferentes. Ou seja, a equidade visa tratar desigualmente os desiguais, investindo mais onde a carência é maior.

Já a integralidade considera as pessoas como um todo, atendendo a todas as suas necessidades. Criando ações de promoção a saúde, prevenção de doenças, tratamento e reabilitação. O princípio da integralidade articula a saúde com outras políticas publicas que influenciam diretamente a saúde e a qualidade de vida das pessoas.

Espero que você tenha gostado. Deixe um comentário abaixo que isso ajuda muito o blog.

Fonte: Wikipedia, Planalto.gov e Info Escola

Comentários

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Não Encontrou o que Procurava? Pesquise Aqui!

Top 10 da semana!

Faturamento, o fim

Raio X Cotovelo na CBHPM.